20.11.11

carta ao primeiro amor, ao único amor.

" Sabes, queria começar esta carta com algo mais saudoso tipo um olá muito sorridente ou um hey extremamente louco, mas torna-se um pouco impossivel. Já tento esconder a tristeza com um sorriso à muito tempo e até tem dado resultado, mas hoje isso não acontece talvez porque eu queira somente ser feliz e fingir essa mesma felicidade não é o mais correcto ou então por um outro motivo qualquer do coração que me obriga a tirar a mascára. Bem, acho que erro ao chamar-lhe ''um outro motivo qualquer do coração", porque afinal esse motivo até tem muita razão de ser. Esse motivo é mesmo o amor. Óh, o amor! Sempre o maldito amor!
A partir do momento que começamos a amar alguém, sentimos o nosso mundo dar uma volta de 360 graus. Ele fica completamente virado de aveso e numa euforia tal que por vezes é mesmo incontrolável. Temos uma fase desse sentimento em que imaginamos como é estar com a pessoa amada, como é sentir o seu abraço quente, como é poder beijar os seus lábios e sentir-se igualmente amada quando é pronunciada a palavra '' amo-te " com mais profundo e sincero dos sentimentos. Nessa fase não pensamos se o amor é igualmente retribuido e então começamos a tentar tornar isso possivel, sempre insistindo até que a outra parte começe por sentir esse tão belo sentimento por nós. Em parte acho que foi o que fiz. Meti conversa, abri o meu coração e esperei que esse amor que sinto fosse retribuido.
Esperei, esperei, esperei até que uma luz, uma pequenina luz começou a aparecer. Pensei que talvez fosse o começo de algo tão fantástico quanto o tamanho do meu sentimento. Fui acreditando e fui-me desiludindo, e assim sucessivamente. Estranhamente não deixei de lutar, e porque? Porque apesar de tudo, és o meu primeiro amor. Não o primeiro amor tipo primeiro beijo ou primeiro de tudo. És o meu primeiro amor porque és diferente de qualquer outro que passou na minha vida. Roubas-te o meu amor todo e isso já faz de ti o meu primeiro amor, porque o primeiro amor é aquele que ocupa todo o amor que possas imaginar.
Apesar de tudo, penso: será mesmo que vale a pena continuar a lutar por este amor? é irracional eu perguntar isto porque a minha cabeça diz que não e o coração bate mil vezes com mais força, torna-se mil vezes mais forte e diz que sim, sim e sim. Eu não sou de ferro, sou um ser humano preenchido de sentimentos indiscutiveis e honestos, talvez por isso me custe imenso pensar todos os dias em ti e pensar em como já fomos antes e aquilo que somos agora, pensar que sou medrosa demais para correr atrás de ti, agarrar-te e dizer-te o quanto te amo, pensar que realmente tudo podia ( e talvez ainda possa ) ser diferente se eu pusesse todos os meus receios de lado e acabasse de vez com esta distância física e emocional que me separa de ti. Se ambos queremos tentar, porque não tentamos? arriscar uma vez na vida não vai matar ninguém, não vai ser melhor ou pior, pode apenas ser único se realmente tentarmos.
Depois de leres isto não espero que te apaixones loucamente por mim, ou que venhas a correr atrás de mim para dizeres que me amas. A única coisa que espero é que entendas como me sinto e o quanto preciso de ti. Afinal de contas quando o amor é verdadeiro e quando se tem confiança, lealdade e respeito por esse amor, qualquer barreira é um promenor insignificante. Estar longe de ti faz com que eu tenha imensas saudades, mas vale a pena tê-las, porque ao ver-te e ao estar contigo nem que seja por um mínimo espaço de tempo faz com que toda a falta que sinto de ti a cada dia seja aproveitada num momento único e fantástico, seja aproveitada ao máximo.
amo-te, agora e sempre. "

flor * 

17 comentários:

beatrizpereira disse...

LINDO *

beatrizpereira disse...

obrigado querida, obrigado mesmo (:

angélica disse...

que lindo :)

beatrizpereira disse...

adorei, deixaste-me tão feliz ao ler aquilo *.*

angélica disse...

obrigado princesa *

beatrizpereira disse...

é sempre bom ouvir coisas daquele género *.*

joanaf disse...

obg
ao tempo! :o ainda lembras de mim linda?

angélica disse...

es uma querida, obrigado :)

joanaf disse...

igual... e tu?
nunca mais acompanhei o teu blog (com muita pena minha) e não sei se ainda gostas do tal rapaz

joanaf disse...

espero que saias desse "mar negro" o quanto antes. nao mereces estar assim

joanaf disse...

disseste bem: ainda :)
acho que tão cedo não vou dela, visto que parece que, assim como as lágrimas, o meu amor por ele aumenta de dia para dia. mas pensamento positivo

joanaf disse...

exato

Anónimo disse...

Perfect ** <3

jorgedalte disse...

Gostei!

sigo

joanaf disse...

oh que fofinha *o* obg!

Daniela Torres disse...

sigo *

Rute Amaral disse...

gostei :)
estou a seguir*